Enfrentamento a Violência

04 de julho - 2019

A responsabilidade pelo fim da violência contra mulheres e meninas é de toda a sociedade. A Lei Maria da Penha (11.340/2006) definiu algumas formas de violência contra as mulheres (física, psicológica, sexual, patrimonial e moral), estabeleceu formas de prevenção, especial proteção às vítimas e punição mais rigorosa para os agressores, mas infelizmente, a violência contra mulheres não está restrita ao ambiente doméstico e familiar, podendo manifestar-se em diferentes espaços públicos, como o assédio que pode ocorrer no trabalho ou durante o trajeto no ônibus, o tráfico de mulheres e meninas, com finalidade de exploração sexual ou trabalho forçado, também é uma foram de violência de gênero e deve ser denunciado.

 

Política Nacional de Enfrentamento à Violência contra Mulheres

 

Prevenção: Ações educativas e culturais que interfiram nos padrões;

Assistência: Fortalecimento da rede de atendimento e capacitação de agentes públicos;

Enfrentamento e Combate: Ações punitivas e cumprimento da Lei Maria da Penha;

Acesso e Garantia de Direitos: Cumprimento da legislação nacional/internacional e iniciativas para o empoderamento das mulheres.

 

Política Estadual

 

Na política estadual de enfrentamento à violência contra as mulheres, o Governo do Estado atua em três frentes: prevenção, proteção e repressão.

A prevenção é feita por meio de campanhas educativas permanentes, visando conscientizar a população sobre o necessário enfrentamento a todas as formas de violências contra mulheres e sobre a igualdade de direitos e oportunidades que devem existir entre homens e mulheres, meninos e meninas. Essas campanhas são desenvolvidas e executadas pela Subsecretaria de Políticas Públicas para Mulheres, em parceria com instituições governamentais e não-governamentais, e podem ser realizadas nos municípios do interior, sob responsabilidade do Órgão Municipal de Políticas para Mulheres.

“RODAS DE CONVERSA” sobre o enfrentamento à violência, Lei Maria da Penha e Lei do Feminicídio, visando discutir com agentes públicos e sociedade civil o conceito de gênero e políticas públicas aplicáveis.

“MULHERES: DIÁLOGOS E DESAFIOS”, painel sobre tema específico vinculado às políticas públicas em questão, com uma mediadora da Subsecretaria de Políticas Públicas para as Mulheres e dois/duas apresentadores/as, preferencialmente um/uma governamental e outro/a não-governamental, com posterior interação da plateia.

“MULHERES EM FOCO”, consiste na exibição de filmes com temática de gênero e posterior discussão, realizado nas unidades prisionais e unidades educacionais de internação femininas de Mato Grosso do Sul.

CAMPANHA DE “COMBATE AO ASSÉDIO MORAL E SEXUAL”, nos espaços públicos (rua, transporte público) e privado (nas relações de trabalho), como forma de orientar as trabalhadoras em como se prevenir nos casos de vitimização, porque as mulheres são as maiores vítimas da violência no ambiente de trabalho e nas vias públicas.

BLITZ EDUCATIVAS em vias públicas e panfletagens em feiras, pontos de ônibus, comércio – distribuição de folders em locais de grande fluxo de pessoas, eventualmente ou em datas específicas.

 

MS Fronteiras

 

Grupo de trabalho criado no âmbito do Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul (Codesul), formado por Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, em reunião dos governadores dos Estados-membros (Resolução 1.251/2017), institucionalizado no Estado por meio do Decreto Estadual nº 14.960/2018, tem como objetivo discutir a problemática da violência nas fronteiras e as violências que acometem as mulheres que vivem nas regiões fronteiriças, a violência de gênero que as inicia no mundo do crime, o uso de meninas e mulheres como “mulas” do tráfico internacional e transfronteiriço, visando um mapeamento e diagnóstico das demandas específicas de cada localidade, para a superação das violências e das desigualdades sociais.

Acesse aqui a Resolução nº 1.251/2017

Acesse aqui o Decreto nº 14.960/2018

 

Parlamento Feminino da Fronteira

 

Criado em 15 de março de 2019, com o objetivo de garantir a efetiva participação das vereadoras nos órgãos e atividades legislativas, fiscalizar e acompanhar programas dos Governos Municipal e Estadual; receber denúncias de discriminação e violência contra a mulher; elaborar e executar programas de enfrentamento à violência contra mulheres e de empoderamento feminino; cooperar com organismos nacionais e internacionais na promoção dos direitos da mulher.

É composto pelas 18 vereadoras eleitas dos 18 municípios selecionados para participar do projeto "MS Fronteiras", que façam divisa com Bolívia e Paraguai ou que tenham mais de 1/3 de seu território compreendido na faixa de 50km das fronteiras - Projeto MS Fronteiras - Codesul.

Sendo os municípios: Amambai, Antônio João, Aral Moreira, Bela Vista, Caracol, Coronel Sapucaia, Corumbá, Eldorado, Iguatemi, Japorã, Ladário, Laguna Carapã, Mundo Novo, Paranhos, Ponta Porã, Porto Murtinho, Sete Quedas e Tacuru.

Composição do Parlamento:

Coordenadora: Vereadora Anny Espíndola - Ponta Porã/MS;
Coordenadora-adjunta: Vereadora Fátima Vidotti – Porto Murtinho/MS;
1ª Secretária: Vereadora Cláudia Maciel – Coronel Sapucaia/MS;
2ª Secretária: Vereadora Luzia Montiel – Tacuru/MS;

 

Comitê Estadual de Combate ao Feminicídio

 

Instituído em 12 de abril de 2019, em reunião realizada na sala de situação da Governadoria, com o objetivo de ampliar as parcerias para a construção de ações estratégicas para o enfrentamento às mortes violentas de mulheres ocorridas no Estado de Mato Grosso do Sul,

Parceiros do Comitê Estadual de Combate ao Feminicídio:

  1. Subsecretaria Especial de Cidadania;
  2. Subsecretaria Estadual de Políticas Públicas para as Mulheres;
  3. Subsecretaria Estadual de Políticas Públicas para a População Indígena;
  4. Subsecretaria Estadual de Políticas Públicas para a Promoção da Igualdade Racial;
  5. Subsecretaria Estadual de Políticas Públicas LGBT;
  6. Subsecretaria Estadual de Políticas Públicas para Juventude;
  7. Ministério Público Estadual;
  8. Tribunal de Justiça;
  9. Defensoria Pública;
  10. Assembleia Legislativa (ALMS);
  11. Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso do Sul (OAB/MS);
  12. Instituto Brasileiro de Direito de Família MS (IBDFAM);
  13. União das Advogadas do Brasil;
  14. Associação Brasileira das Mulheres de Carreira Jurídica de MS;
  15. Conselho Estadual da Mulher;
  16. Secretaria de Estado de Saúde;
  17. Secretaria de Estado de Educação;
  18. Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho;
  19. Polícia Civil;
  20. Polícia Militar;
  21. Câmara Municipal de Vereadores de Campo Grande;
  22. Secretária Municipal de Políticas para as Mulheres de Campo Grande (SEMMU).

 

Material Gráfico

Cartilha Viver Sem Violência é Direito de Toda a Mulher - Governo Federal

Cartilha Lei Maria da Penha - Esclarecimentos sobre a aplicação da Lei nº 11.340/2006 (Português)

Cartilha Lei Maria da Penha - Esclarecimentos sobre a aplicação da Lei nº 11.340/2006 (Guaraní)

Cartilha Lei Maria da Penha - Esclarecimentos sobre a aplicação da Lei nº 11.340/2006 (Terena)

Cartilha Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana